" Leve é o Corpo que se solta, Livre é a Alma que se entrega ao Amor.... Segue O que se ergue no Horizonte!"

- Grande Mãe, recebida por Ísis de Sírius

27 junho, 2015

Solstício de Verão - Unificação do Povo da Serpente ao Povo do Dragão

Quando acedi ao pedido Interno da Mãe que me levou numa peregrinação para fora do país, para fazer um trabalho de unificação na terra do Pendragon em pleno Solsticio... vacilei.
E mesmo quando cheguei a Stonehenge ainda não sabia o que iria acontecer, nem o que era esperado de mim.
Mas, ao entrar no Círculo de Pedras, senti o poder da Deusa que me acompanhava.
Enquanto eu tentava suster a emoção contida em mim, fazia um esforço para sustentar a conexão com Ela, devido à confusão daquele mar de gente (centenas de pessoas) que cantavam e dançavam dentro do círculo, ao som dos tambores e perturbavam o ambiente.
No entanto, o meu receio tão humano, até ali era infundado... pois a energia da mãe era fulgurante ao ponto de sentir que me queimava por dentro, a Serpente enlaçada no meu ventre e que serpenteava pelo meu corpo de Luz acima, manifestou-se abruptamente e instigou-me a avançar para fora do círculo de pedras... o que de certa forma me surpreendeu, pois pensara ser ali o centro de poder de Stonehenge.
Mas não era ali que a Mãe me queria, e vi-me avançar pelo campo para longe, onde não havia quase ninguém... uma ou outra pessoa deitadas na relva a sentirem a energia.
E desta vez não vacilei, quando me senti ser conduzida em direcção a uma rocha solitária, uma pedra tão isolada que de longe não sobressaía à vista. Foi numa descarga de adrenalina que senti o seu poder, ígneo qual iman poderoso que me atraía para si, e enquanto as minhas mãos procuravam sentir a firmeza e a textura... e cada ranhura daquela pedra senti uma doçura invadir-me como se a conhecesse desde sempre.


- Este é O Sentinela - uma voz sussurrou-me ao ouvido e eu engoli as lágrimas e silenciei, encostando o rosto naquela pedra aquecida pelo sol... enquanto o meu coração ardia por dentro com o reconhecimento.
Aí compreendi que era chegada a hora de fazer o meu ancoramento com a sustentação de Lilith, uma Face da Deusa na energia de Portugal e do Povo da Serpente... e de todas as Irmãs que estavam em sintonia com este Propósito Maior, em Portugal - em terras celtas... e em solo sagrado nas montanhas do México, e de outras que a Deusa me recordou e me pediu para que as invocasse.
Ali sentei... costas no colo de Sentinela, onde senti as Marés de Poder se moverem, onde percepcionei a Chegada dos Antepassados... dos Druidas e Sacerdotisas de Outrora...
E, por cima daquele espaço sagrado, entre o Vazio da Linha do Tempo e do Espaço... me foi dado ver a Serpente unindo-se ao Dragão, ambos entrelaçados num só feixe de Luz até se tornarem UM! E a Luz que deles nasceu, irradiou por toda a Terra.
Nesse momento a minha alma chorou e o o meu corpo tremeu com a emoção... e quando abri os olhos e pestanejei para a contraluz, vi um Druida que me observava amiude e que depois me acenou em reverência.
E que, posteriormente, me explicou que aquela rocha era um sentinela, a energia masculina onde o último raio de sol do solsticio e o primeiro do dia seguinte, incidiam, abrindo e fechando os Portais entre os mundos.
Compreendi então porque a Mãe me chamara ali...
O meu trabalho era findado aqui.
Em gratidão!
21/06/2015 - Isis de Sirius
Somerset, em Terras do Pendragon

21 maio, 2015

Síntese Lilith - Encontro e Formação Nacional


 
 
Vou falar-vos de Lilith…
Não da deusa tenebrosa, a que usa o mesmo nome e que nunca foi seu de direito… a que foi criada por falsos deuses para ludibriar a mente humana.
Não o demónio súcubo, a que a mente pérfida dos homens de poder, deram o nome da Mãe do Mundo, conseguindo por milénios e milénios, remetê-la ao silêncio, afastando a humanidade da verdade e da influência divina e amorosa da Mãe.
Vou falar-vos de Lilith, A Verdadeira.
A que criou Sophia e Eva à sua imagem e as colocou ao lado de Adão, um clone sem consciência criado pelos falsos deuses, na tentativa de introduzir no mundo a centelha do Amor e da Consciência. E também a opção do Livre-Arbítrio e da Evolução da Alma, duas das mais importantes Directrizes que o Pai instituiu neste Universo e que não estavam a ser cumpridas aqui na Terra, sob o jugo dos falsos deuses.
Ainda hoje não sei, nem me foi dado ver, porque quis Lilith que eu falasse por, e através dela. Mas é ela que me impulsiona a escrever. É através dela que vejo, sinto e oiço o que ela quer… e escrevo porque ela o deseja, e assim é.
Chegou o tempo de Lilith regressar ao Mundo, e à Luz na Mente dos homens.
E através das minhas palavras vou levar-vos a Ela, a Lilith.
Vou tocar-vos com a essência, o amor e a sabedoria da Mãe do Mundo.
Lilith é a alma e a consciência da Terra, de Gaia, de Chã.
Lilith é a consciência da Terra, a Mãe da Humanidade.
Lilith é o Útero e o Portal onde todas as Almas fazem a travessia para este Mundo.
Ela é física e extrafísica, existe em todas as dimensões deste planeta e manifesta-se de muitas formas. Sendo a mais conhecida delas, nesta realidade da 3ªDimensão, a Serpente.
E através dela vos explico porquê.
A Serpente é o animal com a estrutura metafísica mais completa. A Serpente encerra em si o poder da Morte, mas também da cura através do seu veneno – o poder da Vida. A serpente é também um animal de ciclos, tal como as mulheres, e de renovação, tal como o planeta.
E a cada Ciclo, a serpente tem a capacidade da transmutação através da renovação da sua pele.
A Serpente representa então a Morte – a Vida – o Renascimento.
E a Sabedoria! A Mãe é Sábia!
Lilith inseriu a Sabedoria, o Conhecimento no Mundo, através da serpente que pediu a Eva que comesse do fruto da árvore da vida. Esse foi o momento em que o Livre Arbítrio entrou no Mundo, finalmente.
Não aconteceu nenhum pecado ou sacrilégio.
Eva não desgraçou a humanidade ao ser repudiada do Paraíso, o Jardim de experiências dos falsos deuses.
Eva, Filha de Lilith deu-nos a oportunidade de redenção.
Porquê?
Porque até então o projecto dos falsos deuses era de manipulação do homem, sem opção de tomada de consciência, sem evolução enquanto alma encarnada na Terra.
As directrizes de Micah, do Pai, estavam a ser corrompidas por estes falsos deuses.
Não estava a ser exercido o livre arbítrio, ou a tomada de consciência que desencadeia todo o processo evolutivo de cada um.
Mais uma vez, a Mãe – Lilith, revelou a sua sabedoria.
Desde então, desde a prova da maçã, que a Mãe tem sido reprimida, afastada, ocultada, remetida ao silêncio pela perfídia de certos homens, que milénio apos milénio têm herdado o poder que rege o mundo. Instauraram religiões oprimentes, que desvirtuaram a mensagem do Pai e a própria Energia Crística, e remeteram Lilith para um abismo de demónios.
Desde então a Humanidade receia a própria Mãe.
Desde então a Humanidade se benze, e esconjura… ao ouvir o Nome da própria Mãe.
Desprezo, medo, ignorância, têm remetido Lilith na sombra, enquanto outras entidades assumiram o seu lugar…
Mas agora a maré está a mudar, e é hora de trazê-lA à Luz.
Lilith é a Geradora da Vida, a Mãe de toda a Humanidade. É aquela que nos desperta e impulsiona a nossa alma a elevar-se.
Lilith é o Princípio de todas as coisas.
Lilith é a Vida do Planeta, e através da Serpente é o poder que o preserva e que o move.
E é através da Serpente que podemos resgatar a verdade e caminhar sobre o corpo da nossa Mãe com consciência.
A Serpente faz a ligação directa da Terra ao Céu. É o único animal com poder de cura, que não tem tronco. O seu ventre desliza sobre o manto terrestre enquanto o seu dorso recebe a luz da Fonte.
Esta é a Chave, o Ankh esquecido.
Na Terra a Serpente desliza, cura e sustém … no Céu, impulsiona e irradia como Serpente Emplumada, o poder da vida e da transmutação.

 
No centro da Terra, num abismo profundo, existe uma gruta.
Dentro dessa gruta existe uma lagoa de água azul esmeralda com poderes curativos.
E no centro dessa lagoa, existe um Ovo. Uma Gema Oval, de uma Luz imensa e dourada.
Ela sustém-se no Ar nesse local sagrado desde que a Terra foi formada.
Guardada e protegida por uma raça tão antiga como a própria deusa, vindos de outro sistema solar e do qual eu faço parte, aguardamos o nascimento de uma nova raça raiz.
Fui autorizada a aceder a esta realidade da qual faço parte, para vos trazer esta imagem. Esta gema, este ovo dourado não palpável é um Portal de acesso aos registros deste mundo e de todas as dimensões e realidades que o compõem. Onde tudo o que já foi e existiu, e tudo o que vai nascer está ali encerrado e resguardado.
Em volta do Ovo, enrola-se e contorce-se uma Serpente negra de olhos dourados, que perscrutam cada alma nascida neste mundo… cada Alma! Analisando o seu merecimento, medindo a sua caminhada, aguardando o momento certo para a impulsionar a resgatar-se e a libertar-se de todos os dogmas e formatações que lhes foram impostos através dos tempos.
Esta é a Mãe do Mundo.
Esta é a Consciência e a Alma da Terra.
Esta é Lilith, um fractal da Mãe Divina, que sustém entre os anéis do seu corpo toda a Humanidade.
E este é o Momento de Lilith retornar à Luz de Quem É!

Isis de Sirius (Susana Duarte)
20/05/2015  05:15

Texto protegido por Copyright, todos os direitos reservados
 
 
 

 

02 novembro, 2014

Lilith

Vi-te na Taça da Visão.

Procurei por ti, no instante antes de designar o meu foco e já a minha pele se eriçava, antecipando a tua chegada.
Entreguei-me à Água, mergulhei nela até te encontrar e me perder no teu olhar.
Até me apartar do mundo que me rodeava e sentir-me pairar entre as Brumas do Tempo diante de Ti... Lilith, Isis, Ishtar, Inanna, Perséfone, Danu... nomes de uma só Mãe.


Antes mesmo de se firmarem os céus e as Terras deste Universo... onde só existia a Água Sagrada, a Água do teu Templo, do teu Ventre, de onde emergiram os próprios anjos!

E foi nessa fracção de segundo, em que não sentia mais o peso do meu corpo e assistia ao nascimento de mil sóis... que a tua consciência tocou a minha, os teus olhos negros trespassaram o meu Espirito e os teus lábios roçaram a superfície da água.

E a tua voz, a tua voz clara soou dentro da minha mente, e ressoou em cada célula do meu corpo, fazendo-o tremer, obrigando-me a regressar à realidade, e ao meu propósito.




- Isis de Sirius 
todos os direitos reservados,
Copyright© 2014


17 agosto, 2014

O Caminho da Serpente

Cada vez é mais importante chegar ao entendimento que qualquer que seja a face da deusa que mais amamos aqui na Terra, ela não é mais do que a ligação á Alma Mater, à Grande Mãe, à Consciência Crística Feminina Universal. 

E que é através da Deusa, que a Mulher cumpre o seu Propósito Divino - de semear amor no coração da Humanidade - esse é o propósito em comum de todas as mulheres.

Mas para que se cumpra e para que as mulheres encontrem o seu propósito, para que sejam plenas e completas, passam primeiro por uma metamorfose da alma, quando descem ás profundezas do seu ser, para que se conheçam por inteiro e purgem todas as suas feridas internas. 

Esse é o trabalho mais profundo e o mais dificil... 

Eu tive a benção de encontrar na minha mentora, Lilith... a coragem para descer ao meu abismo pessoal. E dele retornar transformada.

Após 10 anos de conexão profunda e integral com a Deusa, de aprendizagem e descobertas transcendentes entre o ser Mulher na Terra com consciência Integral, Estelar e Abissal, foi-me dado um Propósito que está a ser trabalhado gradualmente e passo a passo.

A primeira parte desse Propósito, está aqui -  passa pela mensagem - por fazer chegar fragmentos da minha consciência monádica, que me têem sido doados pela Mãe da minha Alma, a todas as Mulheres, e também aos Homens Conscientes que sustentam as mulheres da sua vida, as Companheiras, as Mães, as Irmãs, as Amigas...

Assim surgiu O Caminho da Serpente, como um trilho sinuoso, estreito que serpenteia para dentro do coração de cada Mulher, trazendo-A à Luz de Si Mesma...

Bençãos de Amor e Luz, de Consciência Integral a todos!
_/\_

https://www.facebook.com/OCaminhodaSerpente?ref=hl


*créditos de Imagem: copyrigth © JULIARO
https://www.facebook.com/MeuCicloMinhasFasesEALua?


06 julho, 2014

Anseias pela Totalidade da tua Alma?





Anseias pela Totalidade?
Pela integração do teu Eu, e ainda não desceste ao fundo do teu poço pessoal?
Desejas sentir-te completa, estruturada, integrada, enraizada com todas as tuas forças, unindo Cardíaco, Mente e Espírito, para transcenderes o véu da Ilusão e ainda não invocaste Lilith?

Apenas através d’Ela poderás ser guiada às profundezas do teu ser. 
À obscuridade da tua Alma. 
Ao início da tua Jornada na Terra, desde o Início dos Tempos.



A Transcendência não se faz apenas para Cima, nem a Sabedoria reside apenas na Luz, nem todos os Mensageiros Divinos ostentam asas.

Lilith mostrar-te-á o Caminho, pois é Ela a Deusa da Totalidade, da Vida e da Morte, da Decantação e do Renascimento, da Alquimia que une a Essência da Alma à Matéria.

Lilith rege as águas negras e profundas do Grande Útero da Humanidade, e é através d’Ela que todas as Almas chegam a este mundo.

Então se anseias pela totalidade, invoca a Deusa da Serpente Sagrada e prepara-te para a descida.
Neste momento não haverá forma de voltar atrás.

Lilith não recua, é Poder Absoluto em acção.
Prepara-te para seres confrontada com todas as tuas fraquezas.

 Lilith não se comiserará de ti, pois reconhece o teu poder e ajudar-te-á a moveres-te nas águas profundas e geladas da tua mente.
Prepara-te para enfrentares todos os teus medos.

Lilith não será branda, pois espera o teu despertar há muito, e sabe que chegou a hora do teu renascimento.
Prepara-te para decantar todos os teus bloqueios.

Lilith não será flexível contigo. O seu espelho negro mostrar-te-á a tua Outra Face.
Prepara-te para abraçares a tua Serpente, o teu Lado Sombra. 

Lilith não será condescendente com as tuas negações.
Prepara-te para aceitares que todas as mágoas que julgas ter recebido de outrem são exclusivamente tua culpa, por expectares demasiado dos outos.

E quando caíres de joelhos, sem forças.
Quando as tuas lágrimas embaciarem a tua visão, e o desespero toldar o teu discernimento.
Quando a angústia ocupar o teu coração.
Quando encarares a tua verdadeira essência nua e crua.
Quando estiveres no ponto de perder a Fé e desistires da tua Caminhada…

 Lilith deslizará sobre ti, na sua forma de Serpente Negra e tão Sagrada, e arrebatar-te-á o teu último folego contraditório. 

Lilith enlaçar-te-á no escuro da noite da tua Alma, e exigir-te-á uma réstia das tuas forças, para que abras os olhos e vejas a explosão de estrelas que originou a matéria com que foste feita.

E nesse momento verás e sentirás… e a tua Alma terá renascido.
Qual Fénix resgatada das cinzas e do negrume que te amortecia as asas.

Olharás para trás, para a Deusa Serpente e saberás que Ela sempre guardou o teu caminhar, e que nunca perdeu a Fé em Ti.

Sentirás todas as tuas células vibrarem com esse reconhecimento e a Luz irradiará como mil sóis em ti e finalmente serás Una.



- Conexão com a Deusa Lilith, por Isis de Sirius 
  protegido por Copyright ©2014

04 julho, 2014

A DAMA PÉ DE CABRA


Uma das mais belas lendas que conheço, e da infelicidade de um homem, que pela religiosidade e falta de entendimento do Sagrado de Outros Mundos, perdeu o Amor de uma Fada.




Dama Pé-de-Cabra, quadro de cerâmica (1942)



D. Diogo Lopes, senhor de Biscaia, era infatigável. Não se importava com o calor, a neve, nem se era de dia ou de noite quando estava na caça. Um dia bem cedinho, esperava um porco montês que estava sendo emboscado numa caçada. Mas então, ao invés de ouvir o porco a aproximar-se ouviu um belo canto. Olhou adiante, para um penhasco, e viu sentada sobre ele uma formosa dama cantando. D. Diogo nem se lembra mais do porco e vai o mais rápido possível até o penhasco. Pergunta então à bela dama quem era, a que lhe responde ser tão nobre quanto ele. D. Diogo oferece seu coração à dama, assim como suas terras e vassalos. Ela pouco faz de suas terras e vassalos, dizendo que ele precisava mais de seus bens do que ela. D. Diogo então pergunta o que poderia oferecer-lhe para que fosse digno dela. É quando a bela dama lhe diz que a única coisa que precisava fazer para que ela fosse sua era esquecer-se do sinal da cruz. Caindo em tentação, D. Digo pesou prós e contras, e chegou à conclusão que se fizesse algumas boas ações em nome de Deus até valia a pena nunca mais se benzer, desde que ficasse com aquela bela senhora. Levou-a para seu castelo, mas à noite, quando pode vislumbrar a formosa dama mais atentamente é que notou que ela tinha os pés como os de uma cabra. Por anos, dama e cavaleiro viveram felizes, chegando a ter filhos, D. Iñigo Guerra e Dona Sol.


O Senhor de Biscaia, D. Diogo, tinha um cão da raça alano, tão destemido quanto o dono para as caçadas. Já a mulher de D. Diogo, tinha uma cadela podenga de pelo muito negro. Enquanto o alano estava prostrado sem querer saber de nada, a podenga não parava de pular. D. Diogo, tentando animar seu cão, deu-lhe um grande osso. Mas no final das contas a podenga tomou-lhe o osso e feriu gravemente o alano. D. Diogo assustado com o que fizera a cadela, começou a dizer que era coisa do diabo e fazia o sinal da cruz. Conforme se benzia, a mulher começou a gritar como se estivesse ardendo em uma fogueira, com os olhos brilhantes, o rosto enegrecido, a boca retorcida e os cabelos arrepiados! Ao mesmo tempo, começou a levitar, a subir, com a filha segura no braço esquerdo e de mão dada ao menino. D. Diogo entrou em pânico ao ver a cena, e quanto mais subia a mulher pelos ares, mais seu braço se estendia segurando o menino. D. Diogo agarrou o filho e segurou-o firmemente enquanto a mulher terminava sua subida e sumia com a menina. Assim como a mulher, sua cadela também sumiu sem deixar rastro.


D. Diogo profundamente triste, passou muito tempo sem saber o que fazer. Até que resolveu voltar a lutar contra os mouros. Nesta época, D. Iñigo já era um rapaz, D. Diogo deixou tudo nas mãos do filho e partiu, ficando muito tempo sem dar qualquer notícia de seu paradeiro. Era sua penitência por ter vivido tantos anos com aquela mulher pé de cabra. Mataria tantos mouros quanto os dias que vivera com ela, e lutaria por tantos anos quantos vivera com ela. Mas acabou por tornar-se prisioneiro em Toledo. Seus aliados de guerra faziam trocas de prisioneiros, mas nunca tiveram consigo um mouro de tão grande nobreza como D. Diogo, nunca conseguindo trocá-lo.

D. Iñigo vendo esta situação, resolveu procurar sua mãe. Muito se falava sobre ela, que havia se transformado em fada para uns e em alma penada para outros. D. Iñigo explicou à mãe o que se passara com seu pai, e a Dama de Pé de Cabra resolveu ajudar o filho a resgatar D. Diogo do cativeiro. Deu a seu filho um onagro para transportá-lo a Toledo. Chegando a Toledo, D. Iñigo conseguiu aproximar-se da cela onde estava seu pai. O Onagro deu um potente coice na porta da cela, destroçando-a. D. Diogo montou no onagro acompanhando o filho, e dali fugiram em disparada. Mas a viagem para casa não foi tranquila. Pelo caminho encontraram um Cruzeiro de pedra, e o onagro ao avistar o cruzeiro parou e não saía mais do lugar. A voz da Dama de Pé de Cabra foi ouvida. Ela instruiu o onagro a evitar a cruz. Ao ouvir da voz da mulher, D. Diogo arrepiou-se todo. Nada sabia ele da aliança entre a Dama e seu filho Iñigo. Acabou por benzer-se. O onagro na mesma hora derrubou os dois de sua cela, e junto a isto a terra tremeu, abrindo um enorme buraco. Por este buraco, D. Diogo e o filho viram apavorados o fogo do Inferno que engoliu o onagro quase que instantaneamente. Pai e filho de tão atordoados acabaram por desmaiar. Assim que se recompuseram-se seguiram uma viagem longa até as terras do Senhor de Biscaia.

Ao chegar em suas terras D. Diogo penalizou-se, indo todos os dias à missa e confessando-se toda semana. Mas não viveu mais muito tempo, se pela idade ou por sua consciência não se sabe, o certo é que passados apenas alguns poucos anos, D. Diogo faleceu, deixando o título de Senhor de Biscaia para seu filho Iñigo. Já D. Iñigo, depois do resgate do pai, nunca mais entrou em uma igreja. Ninguém sabe qual foi o acordo que fez com sua mãe para conseguir resgatar seu pai, mas entrar em igreja não entrou mais. Muito se disse sobre isto, inclusive que fizera um pacto com o Diabo. E para acrescentar esta desconfiança das pessoas, D. Iñigo, desde então, era imbatível, nunca perdendo uma batalha. 





Fonte: 
HERCULANO, Alexandre – Lendas e Narrativas – Imprensa Nacional/Viúva de Bertrand e Filhos, Lisboa, 1851.

22 junho, 2014

A Deusa em Mim



A Deusa em Mim Conhece-me por inteiro e dá-me a Confiança Absoluta do Chão que eu piso.

Se eu tiver que tropeçar e cair, a Deusa dentro de mim, dá-me o Conhecimento de que a Aprendizagem faz parte do Caminho.

A Deusa dentro de mim acalenta o meu Espírito quando alguém parte do meu Mundo, e dá-me a Visão para que Eu veja que a Morte é a Porta e o Princípio da Vida... e não o Fim!E se Eu tiver que chorar, a Deusa dentro de Mim dá-me a Força e a Percepção que as minhas lágrimas alimentam o solo e que as minhas dores são as de Todas as Mulheres do mundo, e não só minhas.
 

A Deusa dentro de Mim, aquece-me o Ventre e através dele, Ela Emerge para me mostrar o que é Trazer á Vida e o que É alimentar a Terra.

A Deusa dentro de Mim fala-me de Todos os Mistérios que perpetuam através das Eras... e que Eu e a Deusa em Mim, somos partículas de uma imensa Teia Cósmica e Terrena, que nos liga ao Grande Vazio de Tudo o que É.


Somos Tudo e não Somos Nada! ♥
Somos uma centelha do Sol, na Grande Espiral do Coração Universal.


Isis de Sirius